Últimas notícias

5 marchinhas para uma folia consciente

Críticas à Reforma da Previdência e aos "cidadãos de bem" fazem parte do repertório que promete agitar manifestações carnavalescas.


Por Crítica21
06/02/2018

Foto: Schweiz/Pixabay

Estamos no mês do Carnaval e, para entrar na folia de forma consciente, o Crítica21 escolheu cinco marchinhas criativas que versam sobre temas políticos atuais. Confira:

1 – Marchinha contra a Reforma da Previdência: “Vota, mas não volta”
O Governo Temer já gastou milhões com propaganda em veículos de comunicação para tentar convencer a população de que a Reforma é necessária, mesmo apresentando dados bastante questionáveis. Apelou até para Silvio Santos e Ratinho. Realizada por iniciativa de entidades sindicais, iniciamos nossa lista com esta marchinha que alerta os deputados e senadores sobre os riscos eleitorais de votar na Reforma do Temer:




2 - “Não vá mexer na nossa Previdência – quem votar, não volta”
Idealizada pela Pública Central do Servidor e demais entidades sindicais, a marchinha segue o tom crítico da anterior e satiriza os membros do Governo Federal que tentam pautar e votar a Reforma da Previdência.


3 - Bolsomico 
Uma criação da Orquestra Royal, a marchinha critica a alienação dos apoiadores do pré-candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, e os incentiva a “sair correndo para a aula de história”:


4 – Cidadão de Bem
Marchinha lançada no Carnaval do ano passado e que foi apresentada no Concurso de Marchinhas Mestre Jonas, em Belo Horizonte. A letra ironiza os "cidadãos de bem" que foram às ruas em apoio ao golpe que destituiu Dilma Rousseff da Presidência. A música é uma composição de Helbeth Trotta e Jhê Delacroix, com produção musical de Marcos Frederico e arranjos de Thiago Delegado. Os intérpretes são: Helbeth Trotta, Jhê Delacroix, Paim e Regina Célia.


Confira uma apresentação da marchinha ao vivo

5 – Tirei o “P”
Marchinha que ironiza a recente mudança de nome do partido do atual presidente da República Michel Temer, antes PMDB e agora MDB. O autor é Jorge Antunes.

Nenhum comentário