Últimas notícias

Lula e Papa Francisco se encontram pela primeira vez

Ex-presidente brasileiro e o pontífice falaram sobre ‘mundo mais justo e fraterno’, além de temas como desigualdade e políticas ambientais.

Com informações do Brasil de Fato
13/02/2020

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se encontrou com o Papa Francisco na manhã desta quinta-feira (13), no Vaticano. Eles discutiram temas como o aumento da desigualdade no mundo, crise ambiental e construção de alternativas solidárias para a economia.

Foto: Ricardo Stuckert

Intermediado pelo presidente argentino, Alberto Fernández, o encontro se iniciou às 11h30 no horário de Brasília e durou aproximadamente uma hora, segundo a assessoria do ex-presidente. A conversa ocorreu na Casa Santa Marta, ao lado da Basílica de São Pedro, onde o papa reside.

Logo após o encontro, Lula divulgou imagens nas suas redes sociais com a legenda: “Encontro com o Papa Francisco para conversar sobre um mundo mais justo e fraterno”. A assessoria do Vaticano confirmou que o papa “teve um encontro de forma particular” com Lula. 

Em entrevista coletiva após a conversa com o papa, o petista destacou que o líder da Igreja Católica vai se reunir em março, na Itália, com jovens para discutir alternativas para criação de uma nova economia mundial. “É uma decisão alentadora do papa e toca em um assunto vital para o futuro dos trabalhadores do mundo inteiro”, apontou.

Segundo Lula, Francisco quer deixar um legado “irreversível” para o mundo. “Nessa idade dele, 84 anos, ele quer fazer coisas que sejam irreversíveis, coisas que fiquem para sempre no seio da sociedade”, relatou.

Foto: Ricardo Stuckert 

Propósito
Para o ex-presidente, esse propósito, de impulsionar a juventude a discutir os problemas econômicos do mundo, deve inspirar o movimento sindical, outras igrejas e partidos do mundo inteiro.

A conversa, disse Lula, abordou também a questão dos direitos conquistados pelos trabalhadores ao longo do século 20, mas “que estão sendo derrubados pela ganância dos interesses empresariais e dos interesses financeiros”.

“Todo mundo sabe o que aconteceu no mundo depois da crise de 2008 e da queda da Bolsa de Nova Iorque. Eu participei de muitas reuniões no G20, desde as primeiras em Washington à última em Cingapura. Todas as decisões que nós tomávamos eram para que não houvesse prejuízo para os trabalhadores, para que não houvesse protecionismo, para que a gente pensasse em desenvolver os países mais pobres.”

Meio ambiente
Ao discutir a questão ambiental como prioridade, Papa Francisco e Lula apontaram a necessidade de produzir meios de energia limpa, como a eólica, a fotovoltáica e a solar. “O Brasil é um país que tem um privilégio porque nós temos 80% da matriz energética limpa". Segundo Lula, o país ainda pode produzir muita energia [limpa], e o mundo inteiro pode”, ressaltou.

“Nós estamos percebendo que há uma má vontade, apesar dos discursos, dos governantes em se preocuparem com a questão ambiental. Eu só queria lembrar vocês que muita gente deseja romper com Protocolo de Kyoto”, avaliou.

Na coletiva, Lula ainda ressaltou a influência que o sindicalismo italiano teve em sua trajetória política e reforçou o compromisso do líder da Igreja Católica com as causas sociais. “Regressarei para o Brasil com a expectativa de que eu esteja com a mesma disposição do Papa Francisco para brigar por um mundo melhor”, disse. 

Edição: Crítica21

Nenhum comentário